Sextou! Hoje é o Dia Internacional da Cerveja

0
365

As definições de sextou foram atualizadas e nunca fizeram tanto sentido! Toda primeira sexta-feira de agosto é comemorado o Dia Internacional da Cerveja e, é claro que vamos comemorar em grande estilo esse dia maravilhoso.  Quem vem com a gente?

Dia Internacional da Cerveja foi criado em 2007, na cidade de Santa Cruz na Califórnia, por quatro amigos fãs desta bebida. No início surgiu como uma celebração mais local mais tomou proporções mundiais e é celebrada em mais de 50 países, afinal, todos nós queremos comemorar esse dia delicioso, não é mesmo?

Mas essa não é só mais uma data comemorativa, na qual brindaremos o líquido sagrado, ela já nasceu com três grandes propósitos:

  1. Estar com amigos para saborear a cerveja
  2. Celebrar aqueles que fabricam e os que servem a cerveja.
  3. Ter o sentido de união mundial com outros que comemoram a bebida, com cervejas de todas as nações e culturas.

Com suas origens no Oriente Médio, teve um percurso histórico na Europa e ficou popular em todo o mundo e é hoje uma das bebidas alcoólicas mais consumidas no planeta. Estudos e dados históricos apontam que as cervejas existem há pelo menos 8.000 a.C. e que, segundo a lenda, ela surgiu por acidente quando primitivos colocaram uma porção de cevada em um vaso e saíram para caçar. Nesse período choveu e água fez com que a cevada produzisse açúcar, logo em seguida choveu novamente e o vaso ficou cheio de água, produzindo assim o CO2 e o álcool. Quando eles voltaram se depararam com o líquido borbulhando e um deles experimentou a bebida. Aí meu amigo, foi um abraço pro gaiteiro! A sede por mais cerveja e mais cevada para a fabricação criou uma explosão de novas técnicas, expansão de receitas, até chegar ao grande leque de produtos que temos hoje. Logo, ela merecia uma data para chamar de sua. Nada mais justo, não é mesmo?

Não é preciso dizer que cerveja é uma paixão nacional. Mesmo que você não goste da bebida, sabe que ela acompanha os melhores momentos do brasileiro: o happy hour, o almoço de domingo, o futebol, o samba, a praia e até mesmo a novela das oito. Esse prazer com a bebida se reflete em números: uma pesquisa feita pela Opinion Box Insights revelou que 45% dos brasileiros bebem cerveja pelo menos uma vez por semana.

Outro estudo, realizado pelo e-commerce Clube do Malte sobre o “Comportamento Cervejeiro Brasileiro: Uma Pesquisa sobre Hábitos de Consumo no País”, revelou que, entre os entrevistados, a maior parte (93,2%) considera cerveja sua bebida predileta. Quanto ao melhor momento para apreciar a gelada, a pesquisa apresenta que beber e comer (88,8%) está entre os grandes prazeres da humanidade e é a principal atividade que o consumidor gosta de fazer em seu tempo livre.

No Brasil, as versões artesanais – com seus diversos estilos e misturas cada vez mais interessantes de ingredientes – ganham todos os anos maior espaço e notoriedade nas gôndolas dos mercados e nos copos dos cervejeiros.

Cerveja estupidamente gelada prejudica a degustação

É exatamente isso que você leu! No Brasil, o clima quente acostumou o público a tomar cerveja muito gelada. Isso torna os aromas da bebida menos voláteis e, por isso, menos perceptíveis. Além disso, esse hábito amortece as papilas gustativas, nos impossibilitando de sentir nuances importantes no momento da degustação.

Segundo especialistas, a temperatura ideal para servir a cerveja varia conforme o estilo. Alguns deles a gente indica beber um pouco mais gelados – mas nunca abaixo de 0°C -, outros apenas resfriados, podendo chegar até 16°C.

A lata é mais sustentável do que o vidro

A consultoria internacional de sustentabilidade Resource Recycling Systems constatou que a lata de alumínio é a embalagem mais sustentável e com maior índice de reciclagem do mundo – 69%, contra 43% do PET e 46% do vidro. E o Brasil é líder mundial nessa forma de reciclagem.

De acordo com a Ball, líder mundial em embalagens sustentáveis de alumínio, a migração do envase em garrafas para latas começou de forma tímida em 2015, quando começaram a surgir as primeiras cervejas artesanais brasileiras em lata. “Hoje, com o perfil do consumidor moderno buscando novas experimentações, as cervejarias artesanais têm um papel importante, de valorizar o momento de consumo, atentando para sabor, com adição de novos ingredientes e variedade. A lata tem então se tornado a opção de embalagem para diversas marcas”, declarou a empresa.

Segundo a marca, além de ser conveniente e se adaptar a qualquer situação de consumo – o que muito agrada ao público – este tipo de embalagem protege completamente a bebida dos raios UV, preservando o seu sabor. Outra vantagem é que a lata não transmite sabor à bebida, pois o produto não entra em contato com o alumínio, uma vez que é selada internamente por um verniz inodoro que protege o líquido.

Além disso, por ser feita de alumínio, a lata gela mais rápido, chegando à temperatura ideal para consumo da cerveja 37 minutos mais rápido do que a long neck, por exemplo. Este fator também gera uma economia de energia.

Cerveja combina com o frio (tanto quanto o vinho)

Segundo Luiza, as pessoas costumam associar muito o frio com o vinho, mas há estilos de cervejas complexos, encorpados e de alta graduação alcoólica (como as Barley Wines, as Stouts, as Weizenbocks, entre outras) que são perfeitos para o outono/inverno. Alguns exemplos trazem na receita, inclusive, ingredientes como café, chocolate e frutas típicas de climas frios.

A combinação de cervejas e queijos harmoniza bem

Apesar de o vinho ser visto como complementar ideal de queijos, também nesse papel a cerveja tem um grande desempenho. “Existem inúmeros estilos de cervejas e alguns deles trazem grande complexidade, o que torna a brincadeira de harmonizá-los com os queijos muito interessante. Além disso, a carbonatação da cerveja entra como agente de limpeza das papilas gustativas, algo muito útil na combinação com queijos gordurosos”, explica a especialista.

Para quem não está iniciado no universo dessas harmonizações, o ideal é pensar de forma bem básica: queijos mais leves com cervejas mais leves; queijos pesados, gordurosos, duros e cascudos combinando com cervejas mais fortes. “Ah, e uma dica valiosa: procure degustar primeiro o queijo e depois a cerveja”, complementa Tolosa.

Existem cervejas escuras que são perfeitas para serem degustadas nos dias mais quentes

Costuma-se associar cervejas escuras aos dias frios, mas são outras características que vão ditar isso, e não a coloração. “Entram na análise o corpo da cerveja, o teor alcoólico, a complexidade. Existem cervejas claras que trazem sensação de aconchego nos dias frios e cervejas escuras leves que são perfeitas para as estações mais quentes”, frisa a expert.

O copo influencia no momento da degustação

E não é pouco! A taça ou copo em que você coloca a cerveja pode influenciar, inclusive, na retenção de espuma da cerveja e nos aromas que sentimos ao degustá-la.

Nenhuma descrição disponível.

Cervejas de Pirenópolis

Pirenópolis abriga, atualmente, as fábricas de duas importantes marcas de cervejas artesanais: Santa Dica e a Stone House Brewing Co.. De acordo com dados de 2018 da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), Goiás é o estado que mais possui estabelecimentos deste tipo na região Centro-Oeste, com 25 cervejarias artesanais, e o sétimo do Brasil.

Uma das mais conhecidas e apreciadas e Cervejaria Santa Dica, que oferece sua cervejas vivas tanto em chopp quanto engarrafadas. Os destaques estão para as IPA, de Hibisco e Kölsch.

Aproveitando esse avanço da cultura cervejeira em Pirenópolis, várias outras cervejarias artesanais se destacam como a Êiou Cervejas Especiais que oferece cerca de 130 rótulos, sendo a metade de Goiás e do Distrito Federal.

Outra que está em funcionamento em Pirenópolis é a Stone House Brewing Co., que oferece oito opções de cervejas artesanais.

Pirenópolis tem várias outras cervejaria caseiras, afinal a quarentena leva as pessoas a desenvolverem mais sua criatividade e também a necessidade de usar o tempo livre para elaborarmos coisas úteis e que nos dão prazer, que nos façam felizes, então nada melhor que pesquisar sobre como fazer cerveja e se aventurar num mini laboratório feito em casa.

*Com informações de Guai da Cerveja, Facebook e blogs

Parceiro:

 

A imagem pode conter: bebida

Buteko do Chaguinha: o melhor churrasco, o melhor sambuda e a cerveja mais gelada de Piri!

Av. Meia Lua, Alto do Bonfim, em frente ao Museu Rodas do Tempo –

(62) 98553-1934

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here