Carta Aberta de repúdio à liminar acatada pelo TJGO, foi entregue ontem (29), ao prefeito João do Léo e ao secretário de Saúde

0
623

Foto: Whatsaapp

Uma carta aberta assinada por vários segmentos do comércio local, inclusive representantes dos ramos de hotelaria, alimentação e hospedagem, foi entregue ontem, por volta das 15h00, ao prefeito João Batista Cabral e o secretário de Saúde Júnior Capela.

A carta entregue em mãos, basicamente expressa a preocupação sobre desdobramento que a liminar acatada pelo TJGO, por decidir a retirada das barreiras sanitárias e consequentemente, liberação da entrada de visitantes. Em um dos parágrafos, os assinantes esclarecem que apoiam as medidas restritivas de ingresso de pessoas e os decretos baixados pela Prefeitura Municipal. “O risco de contaminação pode afetar de maneira crucial esse patrimônio humano cultural. Todos nós, para enfrentarmos a pandemia, formamos o consenso de suspender, em decisão inédita, a secular Festa do Divino Espírito Santo e as Cavalhadas em prol do bem comum. Reivindicamos, assim, o direito de ver como ameaça a decisão do referido Desembargador e pedimos que a mesma seja revista e suspensa”, afirmam na carta. (Leia a carta aberta no final da matéria)

Está bem claro, que a maioria concorda que todas as ações seguidas pelo Comitê de Crise, referentes à Covid-19, devem pautar pelo cuidado à vida e, portanto, ressalta a Carta aberta que faz-se necessário interromper, o ritmo de contaminação no município, e para tanto, é preciso enrijecer o controle de entrada dos vistantes, por enquanto.

É MISSÃO de todos participar da tomada de decisão por parte da gestão pública. A carta é assinada por membros participantes dos grupos virtuais de whatsapp Democracia Piri (32 participantes), Pirenópolis Notícias (175 participantes), Mercado Comum Pirenópolis – Feira Livre on-line (132 participantes), Quintal da Aldeia (19 participantes), Coletivo de Mulheres Pirenópolis (6 participantes), Festa Cultural de Pirenópolis (17 participantes), Esquenta Piri (256 participantes) e as instituições jurídicas Guaimbê – espaço e movimento criativo, Flor de Pequi – brincadeiras e ritos populares, ACEAPP- Associação Cultural e Ecológica dos Artesãos em Prata de Pirenópolis, Torcida Organizada Resistência Guarani, Coletivo de Mulheres Divina Empada Pirenópolis, ACAP – Associação da Cultura Artesanal de Pirenópolis, Feira do Artesanato – Praça do Coreto, Jornal Pirenópolis Online, COEPI – Comunidade Educacional de Pirenópolis, APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Pirenópolis, Associação dos Feirantes e Produtores de Pirenópolis – AFEP, Esquenta Piri e ACISAP – Associação Comercial, Industrial, de Serviços eAgropecuária de Pirenópolis, Campanha Fome Zero Piri.

 

CARTA ABERTA DA POPULAÇÃO DE PIRENÓPOLIS GO

Nós, cidadãos e cidadãs de Pirenópolis, representantes dos mais diversos segmentos locais, tais como turismo, saúde, saúde pública, cultura, entre outros, preocupados com as novas medidas em relação às barreiras sanitárias, ponderamos que: há falta de leitos de UTI e equipamentos médicos em nosso município para realização de exames (testes) para detecção do coronavírus; o serviço público hospitalar de Goiânia já atingiu quase 90% de ocupação; o conhecimento de que o fechamento para o exterior e a quarentena interna (com isolamento social) são nossas grandes e principais armas pra evitar que a curva de proliferação se acentue; já foi detectado um caso de contaminação pelo COVID-19 na cidade; os municípios próximos a nós, entre eles Anápolis, Goianésia, Corumbá e Cocalzinho, também já detectaram casos da doença; a curva de contaminação no Brasil deve alcançar seu pico entre o final de maio e início de junho; o Brasil, no momento, é o segundo país no mundo com o maior número de casos confirmados da doença, atrás apenas dos Estados Unidos; o Estado de Goiás já registrou quase três mil casos de covid-19 confirmados, testou apenas pouco mais de 10 mil pessoas em todo o estado e ocupa o último lugar na lista dos estados brasileiros a aderirem ao isolamento social; publicamente REPUDIAMOS o parecer proferido pelo Desembargador Jairo Ferreira Júnior que deferiu o pedido de antecipação da tutela recursal para cassar a decisão combatida, proferida pelo magistrado de instância singular, determinando, outrossim, a suspensão dos efeitos do artigo 4º e de seus parágrafos, do Decreto Municipal nº 3.449/2020, com efeito ex tunc, até o julgamento final da Ação Civil Pública n. 5185903.12.2020.08.09.0126.
E ainda, por nos sentirmos ameaçados em nossa integridade física, queremos esclarecer que apoiamos as medidas restritivas de ingresso de visitantes à cidade que vem sendo praticadas pela população em atendimento aos decretos da Prefeitura Municipal e que vem trazendo excelentes resultados à cidade que, até o momento, registrou apenas um caso confirmado de contaminação pelo covid-19. Outras dois casos merecem menção, a visita de pessoa contaminada em Santo Antônio e uma pessoa que veio passar a quarentena na cidade. Os três casos trouxeram a contaminação de Goiânia.
Entendemos que a Decisão singular aumentará sobremaneira o fluxo de visitantes ao município, principalmente se levarmos em consideração que estamos próximos do Distrito Federal e Goiânia, dois importantes polos de disseminação do vírus.
A cidade de Pirenópolis e seu trade turístico já está se organizando para uma abertura consciente com regras de higienização, gradual e segura, ainda sem data determinada. Antecipar esta abertura e prejudicar o isolamento social coloca em risco todo o trabalho que vem sendo realizado até o momento tanto pelos órgãos públicos quanto pelos cidadãos, expondo a população ao risco de contaminação.
Ressaltamos ainda que Pirenópolis é uma cidade histórica e grande parte de seus moradores é formada por idosos, verdadeiros memoriais da cultura local. A preciosidade da cultura pirenopolina, resguardada como patrimônio histórico, se assenta na oralidade. Se o centro histórico e as festividades são patrimônio histórico, as pessoas que participam também são parte deste patrimônio.
Com a abertura da cidade, o risco da contaminação pode afetar de maneira crucial esse patrimônio humano cultural. Todos nós, para enfrentarmos a pandemia, formamos o consenso de suspender, em decisão inédita, a secular Festa do Divino Espírito Santo e as Cavalhadas em prol do bem comum. Reinvindicamos, assim, o direito de ver como ameaça a decisão do referido Desembargador e pedimos que a mesma seja revista e suspensa.

Assinam este documento os membros participantes dos grupos virtuais de whatsapp Democracia Piri (32 participantes), Pirenópolis Notícias (175 participantes), Mercado Comum Pirenópolis – Feira Livre on-line (132 participantes), Quintal da Aldeia (19 participantes), Coletivo de Mulheres Pirenópolis (6 participantes), Festa Cultural de Pirenópolis (17 participantes), Esquenta Piri (256 participantes) e as instituições jurídicas Guaimbê – espaço e movimento criativo, Flor de Pequi – brincadeiras e ritos populares, ACEAPP- Associação Cultural e Ecológica dos Artesãos em Prata de Pirenópolis, Torcida Organizada Resistência Guarani, Coletivo de Mulheres Divina Empada Pirenópolis, ACAP – Associação da Cultura Artesanal de Pirenópolis, Feira do Artesanato – Praça do Coreto, Jornal Pirenópolis Online, COEPI – Comunidade Educacional de Pirenópolis, APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Pirenópolis, Associação dos Feirantes e Produtores de Pirenópolis – AFEP, Esquenta Piri e ACISAP – Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Agropecuária de Pirenópolis.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here