Colégios militares poderão ser impedidos de punir estudantes fora de ‘padrão estético’

0
201

A tradicional cultura imposta em colégios militares e cívico-militares exigindo padrões estéticos como corte de cabelo padronizado, cor e tamanho das unhas motivou uma ação do Ministério Público Federal (MPF) para a  proibição das regras nas instituições de todo o Brasil.

Inicialmente, o órgão havia entrado com um pedido para a Justiça Federal do Acre solicitando o cancelamento das regras nas unidades estudantis que violem os direitos fundamentais dos alunos.

Ainda, a medida visa que os colégios sejam impedidos de aplicar punições para os estudantes que não seguirem as exigências solicitadas e determina que toda a comunidade tenha acesso na participação dos conselhos das instituições educacionais e militares.

O MPF ainda argumenta que a ação tem como objetivo impedir as instituições de impor, sem qualquer relação ou potencial de melhoria, os padrões militares.

Inicialmente, o pedido de liminar foi negado, mas o órgão recorreu a decisão. Segundo o Ministério, a negação por parte da Justiça mantém a violação do direitos dos estudante à liberdade de expressão, intimidade e á vida privada.

“Já nem se trata de perigo de dano, o próprio dano em si já é evidente. Há impacto desproporcional das restrições às pessoas pretas e pardas, às pessoas com deficiência e às pessoas LGBTQIA+, com grave racismo institucional”, afirma o procurador da República e responsável pela ação, Lucas Costa Almeida Dias.

Dentre as proibições vigentes nos colégios militares atualmente, estão: uso de maquiagem, esmalte de unha em cores vivas, tatuagem em qualquer parte visível do corpo, pulseiras, colares, relógios de pulso que não sejam pequenos e discretos e penteados considerados exóticos.

Já entre os comportamentos, estão vedados coisa como “mexer-se excessivamente”, “frequentar local de jogos eletrônicos” ou “ler jornais contra a moral e bons costumes”.

Em resposta, a Justiça afirmou que havia o risco não havia risco iminente ao direito dos estudantes para justificar a intervenção urgente do Judiciário.

Parceiro:

Endereço: Avenida Jk, número 3331-2182
Fica aberto todos os dia da 07h00 às 20h00 e no domingo até 12h00
*Obs* A publicidade anexada à matéria, nada tem a ver com o conteúdo. Não se trata de matéria paga, é só uma forma de deixar em evidência os parceiros do site nas redes sociais. Venha ser parceiro do Pirenópolis Online. Seu anúncio vai longe!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here