Apagão deixa Pirenópolis sem luz por mais de nove horas

0
449

Um apagão atingiu Pirenópolis, a cidade inteira ficou mais de nove horas sem energia. A luz acabou pouco antes das 15h00 de segunda-feira (08). Esses longos apagões estão se tornando constantes na região, no último sábado (06), a energia acabou e só voltou depois de várias horas. A Enel informou que o rompimento de um cabo e a manutenção na rede elétrica causaram o problema, classificado pela empresa como uma “ocorrência pontual”.

No momento da queda de energia, chovia e ventava forte na cidade. O serviço foi restabelecido por volta das 00h00. Esse problema é constante. Faça chuva ou sol e Pirenópolis se esmorece pela frequente falta de energia. Feriados, viradas de ano, natal ou qualquer fim de semana comum, as quedas de energia em Pirenópolis estão transformando a cidade em um caos para os comerciantes, donos de pousadas e restaurantes e demais moradores.

Quem paga a conta dos eletrodomésticos estragados, dos supermercados que fecham mais cedo, dos alimentos dos restaurantes perdidos, tudo pela falta de energia? O prejuízo sempre vai para o consumidor e a Enel continua prestando esse serviço para inglês ver.

A cidade vira um deserto de escuridão, e o pior, sem aviso prévio, sem ressarcimentos dos danos causados e sem qualquer verdade dita.

Essa ultima queda, ocorrida ontem(08), no período de 15h00 até 00h00 na cidade inteira ficou às escuras. Isso mesmo! 09 horas sem energia e sem telefones celulares e residenciais. Ilhados, os pirenopolinos não tem a quem socorrer. Ligar pra Enel? Como? Quando se pode ligar, as ligações são atendidas por uma mensagem de voz que promete mandar um técnico que nunca chega. Os atendentes locais mal sabem o que está acontecendo e estão de mãos atadas sem terem como resolver qualquer problema. Desculpas esfarrapadas como: caiu um poste na cidade próxima, arrebentou um fio no bairro tal, a ponte caiu, pegou fogo na fiação, ninguém toma providência e como consequência a cidade fica no prejuízo sempre.

Não é necessário estar chovendo ou estar trovejando para faltar energia na cidade. Pousadas, hotéis, supermercados, residências, restaurantes sem energia, só se for para voltar para a época da lamparina. Será que é isso mesmo que está acontecendo governantes? Teremos que adquirir agora lampiões, lamparinas, velas, enfim. Pelo menos não pagaremos contas altíssimas por um serviço que é de direito do consumidor que não chega a ser prestado como consta nas propagandas, leis, regulamentos e blá-blá-blá.

É um desrespeito imenso com a população pirenopolina e com o consumidor, uma empresa que “prega” a boa prestação de serviço, faz com que o consumidor pague caro em suas contas e ainda não presta o serviço que todos sabem que é obrigatório. Desculpe governantes, não acreditamos mais na idoneidade da empresa que vocês colocaram para nos servir. Já basta tanto desrespeito e imoralidade com os pirenopolinos e com os consumidores em geral. Para pagarmos tão alto por esse serviço, a Enel deveria no mínimo prestá-lo de forma justa e de acordo com o que está descrito na Lei.

Chega! O consumidor está cansado de ser lesado inúmeras vezes por essa empresa. Nós somos consumidores com uma prestação de serviço fajuta da empresa Enel que presta um péssimo serviço desde que se estabeleceu em Goiás e literalmente não dá a mínima para Pirenópolis ou qualquer cidade do Estado.

Quem socorre a cidade de Pirenópolis? Se não temos a devida prestação de serviço por parte da ENEL, se não há setor na empresa que possa atender a demanda ou o caos que a cidade se transforma por falta de energia, a quem socorrer? Ministério Público de Goiás?

A Enel afirmou que equipes trabalharam para corrigir o problema e reativar o fornecimento e que a empresa investe em melhoria e manutenção na rede elétrica e sustentabilidade.

Parceiro:

Pode ser uma imagem de texto que diz "GRUPO BETHA S.H.I.E.L.D. 0"

Grupo Betha Shield
Vigilância Patrimonial: sua segurança garantida e mantida sob nossos olhos

A nova sede fica localizada na Rua Emanoel Jaime Lopes, Nº16 , centro, os telefones são (62) 3331-3088 e 98591- 8010.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here