Denúncia: vários cães são abandonados no lixão de Pirenópolis. Atenção: imagens fortes!

6
3962

Vários cães são abandonados no lixão de Pirenópolis todas as semanas. A reportagem do jornal Pirenópolis Online foi até o lixão e constatou que atualmente cerca de 100 animais habitam o local. Segundo um catador Paulo Roberto, este número só não é maior pois o lixão está localizado próximo à GO – 431 e muitos deles morrem atropelados.

Alguns catadores que residem no local, afirmaram também que é comum ver aos finais de semana carros parando de frente ao aterro e abandonando os animais. “São cachorros de todas as raças e tamanhos. Muitos são abandonados ainda filhotes e acabam ficando no lixão, pois é aqui que encontram o que comer, mesmo que seja lixo”, disse a catadora Maria.

Para presidente da ONG PiriPatas, Jackeline Vidal, o problema se dá por conta da falta de consciência da população. “A população continua jogando fora seus animais como se fosse lixo. Vários voluntários levam ração, vacinas e remédios aos animais que lá se encontram. Estamos tentando uma ação no sentido de minimizar os problemas dos animais abandonados, tanto nas ruas como em lugares ermos, o que é bastante comum no município, mas não conseguimos nada até agora, queremos apoio e não temos nenhum”, afirmou.

De acordo com Jackeline, os cachorros que vivem no lixão e os que são resgatados, são colocados para adoção nas redes sociais por pessoas solidárias à causa. “Já resgatamos muitos com pata quebrada, doentes e com inanição. Encaminhamos para clínicas veterinárias em Anápolis, com os custos pagos com rateio entre os voluntários e deixamos para adoção responsável em lares temporários”, esclareceu.

Maria Lina Nogueira

Segundo Maria Lina Nogueira, voluntária e membro da PiriPatas, a situação do lixão e dos animas abandonados na cidade está ficando cada vez mais séria. “Basta andarmos pelas ruas de Pirenópolis que percebemos inúmeros animais abandonados, mas estive recentemente no lixão e saí de lá deprimida. Nunca vi tanto sofrimento. Animais doentes, famintos vasculhando os sacos de lixo em busca de comida. Se engana quem fala que o lixão tem comida pra eles. Não, o que eles encontram é comida podre e insuficiente”, desabafou.

Valdeir Alves da Silva, secretário municipal de Meio Ambiente

O Pirenópolis Online tentou entrar em contato com Mayra Gomes Borges, diretora da Vigilância em Saúde, na Unidade de Saúde Maria Pires Perillo e não obteve sucesso, foram várias ida ao seu local de trabalho e não conseguiu encontrá – la. Conforme o secretário de Meio Ambiente, Valdeir Alves da Silva, existe um projeto a ser implantado no lixão de Pirenópolis, que consiste em cercar e construir uma guarita. “Temos a pretensão de até mesmo, instalar câmeras de vídeo, já colocamos placas dizendo que abandono de animal é crime”, justificou sem precisar quando as melhorias serão implantadas.

Ao  entrar no aterro sanitário para identificar a situação dos cachorros que lá vivem, a reportagem conversou com dois catadores que também vivem em situação bastante precária e que mesmo assim, dividem o pouco que tem com os animais famintos. “Eles me seguem o dia inteiro. Eu cuido deles na medida do possível, tenho muita dó”, desabafou Maria.

Patricia Tancredi

Conforme Patrícia Tancredi, que há 12 anos, luta em prol dos animais abandonados e dedica tempo integral à causa, “o problema do lixão é recorrente. Aquela situação que você viu lá, existe há vários anos. Tentei várias vezes uma solução que amenize o problema, como campanha de conscientização, tratamento para os animais, mas ações assim, pequenas e sem apoio alguns dos órgãos competentes, não surtem efeito. Venho solicitando campanhas de castração, mas nunca nos atenderam”. Segundo ela, a população aproximada de cães abandonados no município é de cerca de 3 mil. “Para tentar fazer o controle, solicitamos junto ao município a compra de um castramóvel para percorrer os bairros da cidade a fim de cadastrar e castrar os cães e evitar a procriação e por conseguinte o abandono e isso nunca aconteceu”, revelou dizendo que nem campanha de vacinação acontece.

Roseane Almeida

A senhora Roseana Almeida, que mora próximo ao lixão, disse que diariamente vários cães são abandonados na porta da chácara em que mora e trabalha. “É de dar dó. São vários animais, cadelas grávidas, filhotes, cães idosos e doentes. Faço o que posso, mas é insuficiente. Gostaria de fazer mais, mas minha situação financeira não permite, minha renda é pequena. Quando faço comida aqui em casa, eles veem correndo atraídos pelo cheiro. Eles estão famintos, no lixão não tem comida pra eles. Recentemente, ouvi o dono de uma outra chácara aqui próximo, dizendo que foram em sua propriedade e mataram mais de 70 galinhas. Eu temo pela vida dos animais, porque o homem ficou muito zangado e disse que tomaria algumas medidas”, argumentou, dizendo que não duvida de envenenamento em massa.

A advogada e tesoureira da ONG PiriPatas, Cristiane Caldas, revela que algumas medidas já estão sendo tomadas em defesa dos animais abandonados junto à Prefeitura, ao Ministério Público e à Delegacia. “Estamos tentando através do diálogo e juridicamente reverter essa situação e conscientizar que o abandono e maus tratos são crimes”, salientou Cristiane.

O Pirenópolis Online ouviu também Lara Melo de Oliveira, delegada adjunta da Delegacia Estadual de Repressão à Crimes Contra o Meio Ambiente(DEMA), que disse que já existe inquéritos instaurados para apurar as irregularidades do lixão de Pirenópolis e que em breve virá com sua equipe para contatar esses fatos e tomar as medidas cabíveis. “Existem leis que obrigam a retiradas desses animais do lixão e com relação aos catadores que lá residem, deixa a situação inadmissível. Tantos os animais, quanto os catadores vivem em situação de calamidade. Assim que possível, iremos nos deslocar e resolver esses problemas junto à Prefeitura, mas devido ao acúmulo de ocorrências, não tenho com precisar uma data”, finalizou a delegada.

Atenção: imagens fortes

Catador Paulo Roberto

Catadora Maria, por onde ela vai, os cães a acompanham

 

Parceiro:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

6 COMENTÁRIOS

  1. Não precisa ter imagens fortes só em ver eles no meio do lixo procurando comidas já é uma imagem que diz tudo, se eu pudesse eu não via um animalzinho na rua, mas poderia pelo menos o governo entrar em acordo com ONGs com o povo solidário e cadastrar nas ruas,sei lá algo pode ser feito.

  2. Prefeito omisso, inoperante. Secretário de saúde idem. Vereadores não fiscalizam nada, são omissos tbm. É um bicho que fica hibernado por 3 anos e meio, mas, que agora saem em busca de votos, com os manjados tapinhas nas costas. A cidade está largada às traças, lixo por todos os lados, matagal e as ruas tem mais buracos do que asfalto. Agora, acredita a população que o poder público vai se preocupar com cachorros no lixão?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here