Protetores de animais se unem para criação de ONG em Pirenópolis e foi criada a PiriPatas

0
309

Como em muitas cidades, Pirenópolis está com um grande problema com relação aos maus tratos e abandono de animais, estima-se que mais de 3 mil animais entre câes e gatos estão vivendo nas ruas, sofrendo com todos os tipos de adversidades, como sofrimento, fome, frio, expostos às chuvas e a maldade de algumas pessoas. Diante disso e da falta de apoio dos órgão gestores, os protetores de animais da cidade se uniram para a criação de uma ONG de defesa aos animais, a PiriPatas – Associação de Proteção aos Animais de Pirenópolis.

Pessoas de vários segmentos estavam presentes na Assembleia

Na última segunda-feira(17), às 17h30, foi realizada uma Assembleia Geral aberta à população para eleição da diretoria da ONG Piripatas. Na ocasião, houveram discussão e aprovação do Estatuto, eleição e posse da Diretoria e Conselho Fiscal. Estavam presente cerca de 25 pessoas.

Segundo a presidente eleita da PiriPatas, Jackeline Vidal e uma das idealizadoras da ONG, muitas pessoas estão dispostas a trabalhar em prol da causa animal, buscando parcerias para realização de ações efetivas como mutirão de castração, tratamento, triagem e encaminhamento para adoção responsável. “Tenho certeza que muitas pessoas estão engajada na causa, poque para amenizar o problemas de abandono de animais em Pirenópolis, temos que somar. É um trabalho que requer união de todos e estou muito otimista com relação a isso, o que trouxe todas essas pessoas para essa assembleia foi o amor ao animais e ao meio ambiente. Já cansamos de presenciar maus tratos, como envenenamento de gatos e abandono de animais doentes e idosos. Está na hora de fazermos alguma coisa para mudar isso”, disse Jackie.

Segundo a ONG, o abandono de animais e maus tratos geram várias consequências, como superpopulação e transmissão de doenças.

História

Pirenópolis tem um problema recorrente com relação a esse assunto, são moradores locais, proprietários de fazendas e até mesmo turistas que vêm pra cidade, abandonar filhotes e animais idosos e doentes nas ruas. Alguns locais são mais visados para essa prática tão vil, como no lixão que tem mais de 100 animais morrendo à míngua e esse número aumenta a cada dia, no Jardim Taquaral, nas estradas e trevos.  Partindo daí, os membros buscaram por leis que protegem os animais e foram atrás de apoio da prefeitura que até hoje não manifestou qualquer ajuda ou melhoria, negando qualquer suporte necessário.

Os protetores presentes na assembleia, ofereceram apoio no que for preciso, tanto na realização de campanhas de doação de ração e medicamento, como em comissões que atuarão na conscientização e busca de parcerias para conseguir castração e vacinas.

Na assembleia, ficou decidido que todos os presentes irão elaborar projetos para serem viabilizados, organizar toda parte burocrática e as peças publicitárias de campanhas e logomarcas. A chapa da diretoria foi eleita pelos presentes e ficou decidido que terá os seguintes nomes: Jackeline Vidal – presidente, Maria Lina – vice, Cristiane Caldas – tesoureira, Carla Adriana – secretária e Paulo Padilha, Magda e Igor no conselho fiscal. Foram nomeados também alguns nomes para formarem Comissões que atuarão em vários setores.

Colabore e participe!

Segundo um levantamento feito por alto, cerca de 50 gatos e cães estão abrigados em casas de protetores voluntários. A associação não possui sede e conta com a ajuda da população.

Para ajudar, doar ou fazer parte da associação, favor entrar em contato por meio dos telefones: (62) 99251-4880 e (62) 99952- 8238 (WhatsApp).

Parceiro:

Botinas artesanais inspiradas na fauna e flora do Cerrado Brasileiro

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here