Onda de calor histórica: recordes de temperatura em Goiás

0
501

Fazer calor na primavera no Brasil, com temperaturas em torno dos 40°C, mesmo no começo da estação, não é novidade, especialmente nos estados do Centro-Oeste, do Norte e no interior do Nordeste. Mas quando amplas áreas do país começam a registrar temperaturas entre 40°C e 44°C, por vários consecutivos, então temos uma situação atípica, especial e perigosa para a população que precisa ser alertada.

O calor se somou com outro fator extremo: a baixíssima umidade relativa do ar. A umidade do ar continua em níveis muito abaixo do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), variando entre 20 e 9% em grande parte do país, especialmente na região Centro-Oeste. De acordo com a OMS, o nível ideal de umidade relativa do ar é entre 60 e 80%. Quando o índice aponta níveis abaixo de 20% a situação é considerada emergencial. Em Pirenópolis o calor continua e está previstos que a temperatura chegue a 41°C, a umidade relativa do ar está em 10%.

Causa do Calor

A maioria das frentes frias de agosto e de setembro de 2020 foram bloqueadas no extremo sul do Brasil. O bloqueio foi causado pela Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) que, apesar de estar localizada sobre o Oceano Atlântico (10ºW), gerou um amplo pulso que se propagou em direção ao continente, influenciando parte do Sudeste do Brasil.

A maior parte do país ainda vai registrar temperaturas bem altas ao longo da semana, com chance de novos recordes em várias cidades.

Temperaturas entre 37°C e 43°C devem ser observadas em uma ampla área do país abrangendo estados de todas as regiões.

Ar seco

A umidade relativa do ar vai continuar em acentuado declínio, no Paraná, em grande parte da Região Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste,  com valores abaixo dos 20% nas horas mais quentes. A situação é ainda mais preocupante entre as cidades do interior de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, oeste da Bahia e Tocantins. Nestas áreas a situação é de emergência para valores abaixo dos 12%.

Quando o calorão vai diminuir? Quando volta a chover?

A partir da segunda quinzena de outubro, as pancadas de chuva típicas da primavera já começam a acontecer de forma mais regular no centro-sul do Brasil. O calorão dos últimos dias, não deve ser mais observado por um longo período como aconteceu com esta intensa onda de calor. A partir do meio de outubro, as nuvens e a chuva vão impedir que as temperaturas extrapolem tanto.

Fonte: ClimaTempo

Parceiro:

Endereço: Rua São Paulo, em frente ao cemitério.
Telefones: 3331-3556 e 98597-7806.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here