Golpes dos perfis fake de pousadas e casas para temporada em Pirenópolis geram milhões aos cibercriminosos

0
199

Os crimes cibernéticos estão muito crescentes, se tornando cada vez mais criativos, inusitados, pois são atuados em várias e diferentes práticas de estelionato. Em Pirenópolis, por exemplo, por ser um dos destinos mais visitados de Goiás, é muito constante as falsas reservas em pousadas e casas para temporada.                                                                   As organizações criminosas usam de promoções vantajosas e pacotes all inclusive para atrair as vítimas e, consequentemente, alto faturamento.

Conforme apurado, as hospedagens oferecidas pelos criminosos em locais conhecidos da região giram em torno de R$ 350 a R$ 500 para entrar na sexta-feira e sair no domingo, por exemplo. Os valores são abaixo dos praticados pelos estabelecimentos vítimas, que podem chegam R$ 1 mil no mesmo período, a depender da comodidade escolhida.

Depois de captadas, as vítimas são induzidas pelos cibercriminosos a pagarem valores parciais ou totais para garantir a reserva. O pagamento é combinado pelo próprio Instagram ou WhatsApp. Entretanto, as contas para o depósito enviadas pelos estelionatários não batem com as informações da pousada, escancarando o crime, que pode não ser percebido pelas vítimas.

Um dos criminosos, por exemplo, usou uma conta bancária de uma cooperativa de crédito de São Paulo, a Chehnor Laranjeiras. O valor depositado seria encaminhado para uma plataforma de jogos online: a Bitech Ltda. A empresa também é sediada no estado paulista.

Redes de estelionatários

O delegado Tibério Martins, titular da Delegacia de Polícia Civil de Pirenópolis, afirmou que os crimes são praticados por criminosos de vários estados, como Mato Grosso, Ceará, Tocantins e Pará. Os perfis fakes investem em pacotes de seguidores, a fim de passar segurança às vítimas para aplicar o golpe. Apenas um dos investigados, do Rio Grande do Sul, movimentou R$ 10 milhões este ano.

Apenas em 2023, mais de 30 estabelecimentos procuraram a delegacia para denunciar o crime, segundo Tibério. Cada pousada, hotel e casa de veraneio, que tiveram a conta oficial clonada ou hackeada, protocolaram o ocorrido formalmente entre uma e cinco vezes no decorrer do ano passado.

“[A distância] complica a atuação da polícia, que tem que mandar equipes para outros estados para identificar e localizar esses criminosos. Muitos deles são laranjas, pessoas simples e humildes, que alugam a conta. A gente depende de quebra de sigilo bancário e esse pessoal tem a experiência de fazer várias transferências sucessivas”, afirmou.

O investigador explicou que os crimes se intensificaram desde o início da pandemia, em 2020 – ano em que o ambiente virtual ganhou ainda mais força. Tibério afirmou que a Polícia Civil já conseguiu derrubar perfis falsos nas redes sociais, mas que os criminosos voltaram a realizar a prática por meio de novos espaços criados nas plataformas.

Eles apenas mudam uma letra do nome do estabelecimento vítima, o que permite uma nova conta. Entretanto, para o delegado, o maior empecilho para combater a prática é a própria legislação brasileira.

“O sigilo bancário dificulta demais. Se houvesse uma forma da polícia conseguir rastrear o dinheiro só com o ofício seria bem mais fácil pegar o destinatário final. A movimentação financeira deles está altissima”, disse.

Entre os locais que tiveram o perfil hackeado está a pousada Cavaleiro dos Pireneus. O gerente geral do estabelecimento, Caio Brigatti, afirmou que desde julho de 2022 o local tem sido alvo de cibercriminosos. Em uma busca rápida nas redes sociais é possível identificar ao menos quatro perfis falsos que levam tanto o nome, quanto o emblema do estabelecimento.

Apenas um dos perfis fakes, o Cavaleiros dos Pireneus (com S), conta com mais de 119 mil seguidores e 170 publicações, enquanto que o perfil oficial da pousada possui 111 mil seguidores. Caio estima que a pousada já sofreu um prejuízo de mais R$ 100 mil, visto que, em alta temporada, aparecem de duas a quatro vítimas lesadas por quadrilhas semanalmente no local.

“Neste feriado [1º de maio] é muito provável que apareçam vítimas na pousada. Ao chegar na pousada, o recepcionista pergunta o nome da pessoa e quando vai procurar o registro, se depara com essa situação. Já temos uma prática de abordagem, já que essas pessoas muitas vezes vem com a família, com crianças”, explicou.

Caio diz que a atuação dos criminosos tem provocado não só prejuízos financeiros, mas também prejudicado a imagem da pousada, que passa a ser mal vista. “As pessoas passam a vincular a pousada com essa prática e não temos culpa disso. As pessoas também não, são vítimas”.

Dicas para evitar golpes

O delegado Tibério explica que uma das formas de evitar cair em golpes é fazer uma pesquisa mais aprofundada do estabelecimento de interesse, que pode ser encontrado até no site oficial da prefeitura da cidade. Ao iniciar uma conversa, é importante realizar uma chamada de vídeo para conferir se de fato é a pousada, casa de veraneio ou hotel mencionado nos perfis.

Outro fator que requer atenção é o valor das ofertas anunciadas, assim como o nome do destinatário da conta bancária. Em caso de golpe, a vítima deve procurar a delegacia que atende a região onde reside para denunciar o crime, mesmo que seja em outra cidade.

“Os hotéis, a grande maioria, trabalham com CNPJ e não com pessoa física. Eles também possuem plataformas próprias para fazer hospedagens. No perfil das páginas é possível ver quando ela foi criada e as vezes que trocou de nome. É preciso tentar se certificar de todas as formas possíveis”, concluiu o delegado. Com informação de Jornal Opção.                                                                                               Parceiro;

Madeireira Lobo no WhatsApp
 (62) 3331-3040
Avenida Benjamin Constant Q.4 L.1 e 31 Vila Cintra, em frente a Academia Energia
 Atendimento de segunda à sexta das 7 às 17:30h e sábado das 07h00 às 12h00.
*Obs* A publicidade anexada à matéria, nada tem a ver com o conteúdo. Não se trata de matéria paga, é só uma forma de deixar em evidência os parceiros do site nas redes sociais. Venha ser parceiro do Pirenópolis Online. Seu anúncio vai longe!

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here