As conquistas das “Margaridas”: Sindicato dos Trabalhadores Rurais e CONTAG ressalta a importância da sindicalização das mulheres

0
52

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares de Pirenópolis, Fernanda de Pina Pereira ressalta que as mulheres trabalhadoras rurais ou as “Margaridas” vêm construindo uma longa trajetória de resistência e lutas que remontam ao Brasil Colônia. A partir da década de 80, as mulheres conquistaram visibilidade ao construírem articulações e organização próprias, com uma ampla agenda política voltada para a superação das discriminações e desigualdades, para a afirmação de sua identidade de trabalhadora rural, para os direitos sociais e pleno exercício de sua cidadania. “As trabalhadoras rurais do movimento sindical do campo abraçaram o desafio de articular sua agenda específica com as lutas gerais, a exemplo da luta pela reforma agrária, acesso das mulheres à propriedade da terra, e luta pelos direitos sociais e previdência social”. disse.

Em sua trajetória sindical, as mulheres trabalhadoras ampliaram e fortaleceram as estratégias e formas organizativas e transformaram o perfil do sindicalismo rural brasileiro.

Para Fernanda, a CONTAG e o STRAAF( Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares de Pirenópolis) também veem como um grande desafio o trabalho político organizativo com as mulheres assalariadas rurais, que sofrem com a dupla jornada de trabalho e diversas formas de discriminação e violência aprofundadas por seu baixo nível organizativo. “Nesse sentido, busca-se dar visibilidade às condições das assalariadas e traçar com elas uma estratégia organizativa para que possam efetivamente conquistar vida digna, cidadania, políticas públicas e o cumprimento dos direitos trabalhistas e sociais”, frisa.

No geral, a CONTAG e o STRAAF lutam para fortalecer e ampliar a organização, mobilização e formação sindical e feminista das mulheres trabalhadoras rurais; contribuir para a democratização das relações no MSTTR, com a superação das desigualdades de gênero; atuar para que as mulheres do campo e da floresta sejam protagonistas de um novo processo de desenvolvimento rural voltado para a sustentabilidade da vida humana e do meio ambiente; dar visibilidade e reconhecimento à contribuição econômica, política, social das mulheres no processo de desenvolvimento rural; além de denunciar e protestar contra a fome, a pobreza e todas as formas de violência, exploração, discriminação e dominação e avançar na construção da igualdade para as mulheres; e propor e negociar políticas públicas para as mulheres do campo e da floresta.

Aposentadoria ou Sindicalização

Mesmo depois de aposentados, é importante também que o trabalhador e trabalhadora rural continuem sindicalizados. Afinal, em sua maioria, ambos continuam ativos e podendo acessar linhas de crédito, outras políticas importantes, além de usar serviços de um advogado, inclusive para questões relativas à sua aposentadoria. Trata-se de toda uma estrutura de apoio. Desassociar-se do sindicato é muito ruim, porque significa deixar de participar das discussões que orientam a sua vida e a do futuro de sua família. E é preciso fazer essa transição das conquistas de sua categoria para seus filhos(as) e netos(as).

Conheça um pouco da “Marcha das Margaridas”

A cada dia, em cada comunidade, damos mais um passo e ampliamos os caminhos de construção desta forte ação, que é a Marcha das Margaridas!

A história mostra que as Margaridas, as mulheres trabalhadoras do campo, da floresta e das águas não fogem à luta. No último período, estivemos nas comunidades, assentamentos, rios, roçados, florestas e periferias resistindo ao golpe de 2016 e seus desdobramentos, que atacaram a democracia, os direitos conquistados e a vida das mulheres brasileiras.

Nas eleições de outubro deste ano, renovamos nossa esperança em um país feliz de novo. Movidas pelos ideais da soberania e democracia, entramos em campanha, na defesa de candidaturas comprometidas com o projeto popular, agroecológico e feminista.

Se por um lado, nós, como mulheres, fomos fortemente atacadas por candidaturas caluniosas e cheias de ódio contra mulheres, negr@s, indígenas, populações LGBTs e outros tantos segmentos excluídos, por outro lado, não temos dúvida de que este processo eleitoral nos deixou mais firmes e atentas. Não baixaremos a guarda, pois, dentre outras coisas, estão em jogo nossas vidas, a democracia, o patrimônio do povo brasileiro, a agricultura familiar e os bens comuns da natureza. O Brasil e a democracia, mais do que nunca, precisam da luta das Margaridas.

Por tudo isso, assumimos o lema Margaridas na luta por um Brasil com soberania popular, democracia, justiça, igualdade e livre de violência como referência da nossa Marcha. Por meio dele, anunciamos a Plataforma Política pela qual lutamos todos os dias, desde o momento em que trabalhamos na roça e em casa, nos organizamos no sindicato, até a hora em que junto com as outras companheiras defendemos nossos direitos como mulheres e trabalhadoras.

Em agosto de 2019, ocuparemos Brasília pela agroecologia, conservação do meio ambiente e valorização dos modos de vida reproduzidos no campo, na floresta e nas águas. Ocuparemos Brasília para lutar por democracia e soberania popular, com justiça social e em defesa dos nossos territórios. Ocuparemos Brasília para construir uma sociedade livre de violência de gênero e racial, por um país sem homofobia e sem intolerância religiosa.

Envolvam todas as mulheres que querem integrar essa luta… vamos conversar sobre a Marcha, debater nossas realidades, propor e construir estratégias que transformem o nosso País. Vamos fortalecer as alianças com os diversos movimentos e grupos de mulheres comprometidos com esta transformação, pois, mais do que nunca, é hora de unirmos mãos com mãos.

Marchamos juntas, com nossa força, criatividade e ousadia!!!!!

Maria José Morais Costa

Secretária de Mulheres Trabalhadoras Rurais Agricultoras Familiares da CONTAG

Coordenadora Geral da Marcha das Margaridas

Então, o que você está esperando para se filiar? Basta procurar o STRAAF, levar seus documentos pessoais e duas fotografias. Tome essa iniciativa. Você e sua família só têm a ganhar.

Procure o Sindicato dos Trabalhadores Rurais:

Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Agricultores e Agricultoras Familiares de Pirenópolis (STRAAF)

Não fique só. Fique sócio!

Endereço: Prefeito Sizenando Jayme, 19

Telefones: 3331.1125 e 98535.5513

E-mail: sttrpirigo@hotmail.com

Parceiro:

Nenhuma descrição disponível.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here